quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PsyVamp - Vampiros Psíquicos

A pedido de alguns leitores do blog, decidi pesquisar sobre psyvamps, porem  achei muito pouco pra variar e muitas duvidas como sempre, assim sendo decidi criar mais ou menos a minha própria teoria a respeito.
Vampiros psíquicos são vampiros que ao invés de sugar sangue absorvem a energia da pessoa, tomando sua força vital. Não há necessidade de contato físico, ele pode absorver essa energia por contato mental. A pessoa atacada por um vampiro psíquico não apresenta anemia pois não há retirada de sangue, ela sempre fica fraca, sem forças

Quer saber mais?
Click Aqui



quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A procura de um(a) Parceiro(a)

Olá meus amigos e queridos leitores e seguidores do Oculto e Sobrenatural, estou procurando alguém para me ajudar a deixar o blog em dia, estou meio sem tempo estes dias e minhas aulas irão começar em breve, portanto procuro um moderador para me ajudar por aqui...
"Inscriçoes Abertas"
é muito facil participar da seleção
so mandar uma matéria de sua criação para 
As melhores matérias serão publicadas aqui no blog!
E assim também poderei encontrar meu parceiro(a) 

A e pra ficar mais interessante as três melhores materias vão ganhar presentes!!!

Bjosssss e boa sorte a todos!!!

Hanna Marry

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

A Múmia de Ramsés II


Este é o rosto da múmia do faraó Ramsés II, da XIX Dinastia, tão bem conservada que após a liberação das bandagens que a preservaram durante milênios os cientistas tiveram que levá-la às pressas para os EUA aonde foi submetida a um tratamento de radiação para impedir que sofresse um processo maior de decomposição. Durante muito tempo as múmias dos soberanos egípcios estiveram em exposição no Museu do Cairo, onde os sempre afoitos turistas podiam encará-las frente a frente. Hoje, todas elas foram recolhidas e colocadas em um mausoléu coletivo, especialmente construído para este fim naquela capital. O dono deste rosto que talvez tenha contemplado Moisés nos tempos bíblicos durante o episódio do Êxodo, foi o protagonista de uma incrível exibição em pleno Século XX. Em uma certa tarde no Museu do Cairo, o burburinho dos visitantes foi subitamente interrompido quando a múmia do velho Ramsés repentinamente ergueu o braço direito, quebrou o vidro do esquife, sentou-se, abriu a boca e voltou a cabeça para o Norte, fazendo com que até mesmo os guardas daquela instituição fugissem em desabalada carreira! A explicação oficial foi que "a ação prolongada do sol sobre os tendões do membro devem ter provocado o encolhimento dos tecidos". Mas que "sol" é mesmo este que brilha no interior sempre refrigerado de um museu como aquele? Pelo sim, pelo não, foi mesmo depois desse estranho episódio (e também de alguns outros bastante estranhos que "assombravam" as dependências daquele museu) que finalmente decidiram livrar todas as múmias da profanação e da curiosidade pública, construindo o tal mausoléu!


O que, por sinal, foi uma medida extremamente sábia pois, segundo o Esoterismo, no ambiente soturno dos museus ainda hoje flutuam junto às múmias os odores de bálsamos muito antigos. Os corpos mumificados - justamente por impedirem o processo de reencarnação - retêm a essência vital aprisionada e, portanto, a vibração dos psiquismos dos defuntos também se faz intensamente presente ao redor deles. Tudo isso é uma ameaça aos vivos, uma vez que algumas pessoas mais sensíveis e por conseguinte mais vulneráveis podem literalmente ser vampirizadas por essas milenares e por vezes extremamente perigosas "sombras"!

fonte: http://insonia2.blogspot.com/2010/12/fatos-misteriosos-1.html

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Símbolos - "Nova Era"

Existe há séculos uma série de símbolos que são a representações de diversos costumes e crenças. São como logotipos, representação gráfica (desenho, letras, etc) usado pelas empresas atuais que ao vê-los logo reconhecemos.

A maioria das pessoas que utiliza esse sistema simbólico está ligada à música e aos meios de diversão em geral, com destaque aos grupos de Rock (Metal), que fazem de suas vestimentas e capas de discos, os mais eficientes veículos de divulgação dessa simbologia.



Veja abaixo alguns exemplos:

Anarquia

O movimento prega a destruição de toda e qualquer organização que não queira se integrar ao novo sistema. Declara a anarquia do inferno a essas organizações que resistem à adesão universal.



Ankh ou "Cruz com laço", "Cruz egípcia"...

Antigo símbolo egípcio que representa a vida, o conhecimento cósmico e o intercurso sexual. Também é conhecido por bruxos como a "Cruz Ansata", utilizado em rituais de encantamento, fertilidade e divinação.

Todo faraó ao morrer levava a cruz junto às narinas para adquirir imortalidade.

Ele era encontrado sempre nos hieróglifos, sendo segurado pelas divindades egípcias como se fosse uma chave, o que nos remete ao seu significado como "a chave dos portões que separam a vida e a morte", já que estes desenhos eram muito comuns em pirâmides mortuárias dos faraós. O Ankh simboliza a vida, o conhecimento cósmico, o intercurso sexual e o renascimento.


 
Arco-íris



É o símbolo principal da Nova Era, mas apresentado só a metade! Ele representa a ponte entre a alma humana individual e a "Grande Mente Universal" ou "Alma Universal", que é Lúcifer. Também é considerado como "Ponte Mental" entre o homem e as energias cósmicas e a cidade de Shambala, governada por Lúcifer. Na Bíblia, o arco-íris é o símbolo da Aliança entre Deus e o Seu povo.

 
Besouro


Símbolo que mostra que a pessoa que usa tem poder dentro do satanismo.




Borboleta
A borboleta é o símbolo próprio dos adeptos da nova era ou dos "aquarianos". Como a lagarta entra no casulo, transforma-se e sai em forma de borboleta, assim a humanidade passa de uma era antiga, transforma-se em todos os sentidos e entra na nova era.

 
Cabeça de bode


É um símbolo de zombaria, contrário ao cordeiro de Deus "Jesus".


Casal Transpessoal


Símbolo do fim do casamento representado pela letra Omega, última letra do alfabeto grego. Os adeptos da Nova Era dizem que o ser humano não deve pertencer a nenhuma família possessiva, mas deve ficar sempre livre para buscar outros parceiros.

 
Chalice Well (Símbolo celta)



Associado aos poderes mágicos, o chalice well representa o poço do Glastonbury, no fundo do qual estaria escondido o Santo Graal - o cálice usado por Cristo na última ceia. É um objeto da tradição celta mais recente, pois remonta o início da Era Cristã e ao período medieval. Usado como talismã, atrai proteção e facilita a comunicação com os seres elementais - fadas, gnomos, ondinas, silfos, salamandras e duendes. Não há uma divindade associada a esse talismã, porque ele se identifica com o cristianismo (incorporado pelos celtas), não tendo, portanto, uma ligação direta com o druidismo nem com a mitologia celta primitiva.


Chifre


Usado em colares, pulseiras, brincos, etc. Simboliza o afastamento de fluídos negativos (mal olhado, olho gordo...).

 
Circulo



O movimento cíclico do Universo e das energias. Representa toda forma de força cíclica, seja corpórea ou universal ininterrupta.

 
Cruz Celta


Associada à coragem e ao heroísmo, a cruz celta ajuda a superar obstáculos e a conquistar vitórias graças aos próprios esforços. Atrai reconhecimento, fama e riqueza, mas essas bênçãos só são garantidas para quem trabalha com afinco e dedicação. Por isso, a cruz celta também concede força de vontade e disposição. A divindade relacionada a esse talismã é Lug, o Senhor da Criação na mitologia celta.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Símbolos ocultos - "Monalisa"

Nos mês passado (Dezembro 2010), uns pesquisadores da Itália, anunciaram que no quadro de Leonardo da Vinci - MONALISA, possuía algumas mensagens secretas sob as camadas de tinta.
Estariam escondidas nos olhos e em outras partes do quadro, letras e números colocados pelo pintor.

As letras “LV” estariam atrás da pupila direita da Gioconda (a esquerda para quem olha o quadro de frente). As letras poderiam representar as inicias de Leonardo da Vinci.

No olho esquerdo, olhando para a Gioconda, existem três diferentes leituras possíveis: um B, um S, uma ou duas letras, que também poderiam ser um 3. Quanto ao olho direito, parece que a primeira percepção pode ser confirmada como um L e V escritos de lado. Deve-se levar em conta que Leonardo era ambidestro e muitas vezes escrevia com a mão esquerda, da direita para a esquerda. Ele parece ter usado este procedimento, por exemplo, nas duas letras encontradas sob o arco da ponte localizada bem no fundo da foto. Lá, se você olhar de frente, consegue ver um 72. No entanto, se girar 180º, também lê um L e um J ou um G. As duas letras poderia indicar as iniciais de Lisa Gherardini, mas outras interpretações são possíveis.

Os pesquisadores ainda estão analisando o quadro, eles acham que tem um significado preciso, mas a dificuldade é dar um sentido correto para esses sinais. eles estão pesquisando o uso de símbolos e números no final do século XV e no século XVI italiano. depois de 500 anos se passaram e podem ter mudado a forma como se lê as letras e os números de acordo com os significados de hoje.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Bruxas - sua Origem e História

As primeiras bruxas ou feiticeiras a caminhar sobre a Terra datam da época onde a Atlântida e a Lemúria ainda existiam. A Princesa Seyfried foi uma das últimas rainhas da Atlântida antes de sua destruição, e era conhecida como uma das mais poderosas feiticeiras de todos os tempos. Após a queda da Atlântida, nas civilizações que se seguiram após o Dilúvio, as mulheres não ocupavam muitos cargos de conselheiras ou sábias, deixando este papel exclusivamente para os homens. As poucas bruxas conhecidas estavam associadas aos templos da fertilidade, dos prazeres e das deusas do amor como Astarte, Vênus e Ishtar.

Durante muito tempo as bruxas foram temidas e caçadas pela inquisição, por causa do mistério que transmitiam.



A definição do que é exatamente uma bruxa pode variar muito, dependendo do período histórico que quisermos analisar, aparentemente estavam dividida em duas categorias:

As Jovens, possuíam o charme mágico e conheciam as poções e elixires capazes de seduzir qualquer homem;


As Velhas, eram bastante temidas por causa de suas terríveis maldições;




As mais poderosas eram filhas de deuses e mortais, ou mulheres abençoadas com o dom da profecia e da clarividência.
Muitas bruxas viviam em locais afastados da comunidade, chamados por muitos de Oráculos.

Deus Baco
O deus romano do vinho

Existia naquela época um grupo de feiticeiras muito poderoso, adoradoras do deus Baco. Estas jovens eram conhecidas como Meneades, ou Sacerdotisas. Estas bruxas eram iniciadas nas artes mágicas muito cedo, e coordenavam as festas em honra ao deus Baco (chamadas Bacanais). Com a queda das antigas religiões no século III, as Meneades passaram a ser perseguidas pelas Igrejas; os templos de Astarte (deusa prostituta da Babilônia) foram destruídos e o estudo da feitiçaria tornar-se-ia um crime passível de morte na fogueira. Com a perseguição religiosa, as Meneades tiveram de se dividir ou se esconder, para não acabarem morrendo por causa da fúria dos religiosos.




Muitas pequenas ordens surgiram, como as bruxas celtas, as Brujas espanholas, as Adoradoras de Luvithy (descendentes das terríveis Fúrias da mitologia grega) e outras. A Inquisição e os Cavaleiros Templários perseguiram e exterminaram grande parte das bruxas européias, destruindo seus Covens e queimando seus grimórios e bibliotecas. Poucas ordens sobreviveram à Idade das Trevas, e as que sobreviveram estavam profundamente alteradas. Com o Renascimento, o papel da mulher continuou relegado a um segundo plano, e quase não se tem notícia de estudiosas ou sábias na Itália ou Espanha, deixando as velhas como conselheiras ou sábias conhecedoras de poções e elixires de cura.


Na Inglaterra e França, as velhas tornaram-se responsáveis pelos Contos de Fadas, ditos às pequenas crianças para entretê-las. O mito da Bruxa sobreviveu à gerações, e chega aos dias de hoje quase intocado, principalmente no leste europeu e países com grandes florestas densas e perigosas, capazes de esconder forças que os mortais não conseguem entender.